quinta-feira, 27 de outubro de 2016

O adolescente mártir de Cristo Rei

Canonizado no dia 16 de outubro pelo Papa Francisco, São José Luis Sánchez del Río é o padroeiro dos adolescentes mexicanos. Tinha somente 14 anos quando deu a vida por sua fé, e suas últimas palavras foram: “Viva Cristo Rey e la Virgen de Guadalupe!”.
Em 1925, o então Papa Pio XI escreveu uma bela encíclica sobre o reinado de Jesus, a Quas Primas, e instituiu a festa de Cristo Rei do Universo. Ele fez isso porque havia pouco tempo ocorrera a Primeira Guerra Mundial e, em todo o mundo, o socialismo, o nazismo e outros ‘ismos’ se espalhavam. Com essas ideologias, também se difundiam o ódio aos judeus e a luta entre as classes sociais. O Papa queria abrir os olhos dos cristãos, para que escolhessem Jesus e não os ditadores que apareciam; que escolhessem o Evangelho e não essas ideologias.
Longe de Roma, em outro continente, as palavras do Papa caíram no coração fertilizado pelo martírio de um povo muito valente: os mexicanos. “Viva Cristo Rei!” passou a ser sua saudação e grito de guerra.
Tudo começou quando os comunistas assumiram o governo. Esse governo decidiu acabar com a fé católica no país, pois achavam que o cristianismo era uma invenção dos homens e, se o povo respeitasse e obedecesse aos padres, isso diminuiria o poder do governo. O pior presidente foi Plutarco Elías Calles. Ele criou leis para fechar as igrejas, prender e matar os padres, freiras e até quem trouxesse no peito uma cruz – era a Lei Calles.

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Infância Missionária

Neste mês das missões, junto com o Dia Mundial das Missões comemoramos também o Dia da Obra Pontifícia da Infância Missionária. Evento a ser aprofundado neste tempo de tantas necessidades.
O motivo primordial da missão é e sempre será o mandato missionário que Jesus Cristo deu aos apóstolos e aos discípulos no termo de sua existência terrena. É um ato de obediência fundamental que a Igreja deve prestar, até o fim da História, à vontade de seu autor. Por isso, a Igreja procurou sempre tomar consciência de sua natureza evangelizadora.
A grande missão da Igreja concretiza-se na preocupação com a criatura humana em sua totalidade. Não é preocupação com uma salvação abstrata, mas compromisso de fé com o ser humano, com seu crescimento no seguimento de Jesus e com sua plena realização em todos os sentidos, porque entre evangelização e promoção humana — como sabiamente afirmou o Papa Paulo VI — existem de fato laços profundos.
A Igreja missionária a serviço do Evangelho faz dela uma de suas características fundamentais. Optar pelo pobre "é condição necessária e irrenunciável do caráter evangélico da ação da Igreja". (CNBB Diretrizes Gerais da ação Evangelizadora, 194). É claro que assumir, sem meios termos, a causa dos excluídos e excluídas exige uma verdadeira reviravolta na própria vida. É preciso entrar naquele processo de "metanoia" (mudança de mentalidade), do qual fala o Evangelho.
A evangelização exprime a identidade, a vocação própria da Igreja, sua missão essencial: "Evangelizar constitui, de fato, a graça e a vocação própria da Igreja, sua mais profunda identidade". (Paulo VI "Evangelii nuntiandi", 14).
A Pontifícia Obra da Infância e Adolescência Missionária (IAM) foi fundada por Dom Carlos Forbin-Janson, Bispo de Nancy, França, em 19 de maio de 1843. Carlos Forbin Janson sempre se interessou muito pela realidade e evangelização dos povos. Já na adolescência, manteve estreita ligação com os missionários da China. Seu desejo era ir à China e ser missionário com os missionários.

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Formação no Vicariato Sul

Aconteceu no dia 08/10, na Paróquia Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, mais uma formação para catequistas do Pré-Catecumenato do Vicariato Sul com muita animação e criatividade.

Formção do Pré-Catecumenato do Vicariato Sul
Clique na seta ao lado das fotos para passar

quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Homenagem

A WebTV Redentor presta uma homenagem ao dia das crianças e à Padroeira do Brasil. 

terça-feira, 4 de outubro de 2016

Mostra Bíblica do Santuário da Divina Misericórdia

Foi realizada, dia 25/09, a tão esperada Mostra Bíblica no Santuário da Divina Misericórdia, esse ano foi focado na Misericórdia, devido ao Ano Santo.
Todas as crianças se empenharam com o apoio dos catequistas a fazerem maquetes muito criativas. Era só passear pela exposição e subir nos degraus das Obras Espirituais da Misericórdia e verificar qual obra corporal tenho praticado: será que sou um Filho Pródigo? Ou Ovelha Perdida? Ajudo como o Bom Samaritano? Pratico o perdão? Teve também o Anúncio que preciso refletir com o coração, para ganhar a Ascensão como o Senhor, para que da Porta Santa, possamos ganhar a porta do céu!

Tia Rita - Filho Pródigo
Tia Marisa - Obras Espirituais da Misericórdia
Tia Elen - Ascensão do Senhor
Tias Ana e Rose - Prática do Perdão
Tia Thaís - Ovelha Perdida
Tias Margarete e Tamires - Ano Santo e Porta Santa
Tia Bete - O Bom Samaritano
Tio Jonathan – Anunciação

Elen – Catequista do Santuário da Divina Misericórdia





segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Programa contempla perspectiva diferenciada para crianças

O arcebispo do Rio de Janeiro, Cardeal Orani João Tempesta, participou no dia 26 de setembro da cerimônia de abertura das atividades do Programa Forças no Esporte (Profesp), realizado no Centro de Instrução Almirante Graça Aranha (CIAGA), em Olaria.  
Conduzida pelo comandante do CIAGA, o contra-almirante Gilberto Cezar Lourenço, a cerimônia contou com a presença de comandantes de outras unidades, diretores de escolas, de centros de referência e representantes da Prefeitura do Rio. Na cerimônia, houve o hasteamento da bandeira, entrega de camisas e desfile de alunos.
O programa, que tem a parceria e acompanhamento da Pastoral do Menor, da Arquidiocese do Rio, e é coordenado por uma equipe do Departamento de Educação Física do CIAGA, tem a finalidade de estimular, pela prática esportiva, o espírito de equipe e união, promovendo valores nobres de patriotismo e cidadania.

Novas perspectivas
Segundo a coordenadora social da Pastoral do Menor, Regina Leão, o programa atende um total de cem crianças, entre 10 e 15 anos de idade, vindas das comunidades da Maré, Vila do João, Amorim, Acari, Cordovil, Marcílio Dias e Quitungo.
“Tanto Dom Orani como o comandante ficaram empolgados com a nova parceria. O CIAGA é uma unidade da Marinha, que se prima pela formação. Entre as atividades esportivas estão vôlei, handebol, atletismo, judô, além de grupo de conversa. As atividades acontecem três vezes na semana, como contraturno escolar”, disse Regina Leão.
A coordenadora social destacou ainda que o programa abre novas perspectivas para os nossos jovens.
“Através de atividades esportivas, cívicas e de cidadania, além de conviver num ambiente com muitas pessoas que vieram de uma classe social igual a eles e que hoje galgam uma profissão, têm uma perspectiva futura diferenciada. Atualmente, 950 crianças e adolescentes estão inseridas em projetos em parceria com a Marinha e o Exército”, explicou Regina.

Mudança radical
Para o vigário episcopal para a Caridade Social, cônego Manuel Manangão, o ingresso das crianças e adolescentes nos programas realiza uma mudança radical no perfil de cada um.
“Há muito tempo acompanhamos o trabalho feito com crianças e adolescentes das comunidades mais carentes a partir das unidades das Forças Armadas. Eles entram no projeto no início do ano, e no final, na formatura, vemos outros meninos com mais capacidade, mais postura. Entre as atividades, também há a formação religiosa, a partir da religião que cada um professa”, disse.
Agora, acrescentou o vigário episcopal, temos mais um programa em mais uma parceria com a Marinha.
“Quem dera se o programa pudesse ser multiplicado ao extremo, ao ponto de todas as crianças terem essa possibilidade, porque é um trabalho extraordinário”, concluiu cônego Manangão.

Flavia Muniz

Fonte: Jornal Testemunho de Fé, página 4