segunda-feira, 15 de maio de 2017

Aconteceu no Encontro da Pré Catequese Infantil do Vic. Suburbano


Aconteceu o Encontro da Pré Catequese Infantil no dia 07 de maio, na Paróquia N. S. do Carmo, com a presença de 38 catequistas do Vicariato Suburbano.
O encontro começou com as boas vindas e benção do Frei Silvio, que acolheu a todos falando em breves palavras sobre o Ano Mariano e como é importante fazer como Maria disse: "Fazei tudo o que Ele vos disser."

Após isso fizemos uma dinâmica de oração, onde em duplas intercedemos uns pelos outros; pedindo a Deus que nos dê força, ânimo e alegria na missão de evangelizar os pequeninos.

Após este momento, tivemos descontração, dinâmicas e músicas com gestos.

 A equipe trouxe novidades e compartilhou com todos. Houve várias atividades que falou sobre a família, sugestões para o dia das mães com dobradura, não deixando faltar até bolsa de valores, santos juninos, importância do pai, falando um pouco sobre São José.
Houve também vários tipos de sugestões de lembrancinhas onde são utilizados materiais simples como: CD velho, garrafas PET, etc.

Tivemos a alegria da participação das crianças da catequese de N. S. do Carmo que homenagearam Nossa Senhora com uma singela coroação.
 O encontro foi finalizado com a reza do terço, onde cada forania ficou responsável em montá-lo com sua respectiva cor. Rezamos este terço agradecendo pela realização de mais um encontro e pedindo as bençãos de N. S. sobre todos nós.



5ª Jornada Nacional da Infância e Adolescência Missionária


Papa abraça Lucas, a criança "milagre" de Fátima

Lucas, a criança "milagre" de Fátima, recebeu, este sábado, um abraço do Papa Francisco no altar do Santuário.

A criança brasileira curada por intercessão dos pastorinhos Francisco e Jacinta Marto, canonizados esta manhã na Cova da Iria, esteve entre os milhares de fiéis que assistiram à missa celebrada pelo Papa Francisco. Este "milagre" foi reconhecido pelo Vaticano e está na base da canonização dos dois pastorinhos.

Fonte: http://www.jn.pt/nacional/interior/papa-abraca-lucas-a-crianca-milagre-de-fatima-8473058.html

Papa Francisco no Regina Coeli: "Igreja cuide das crianças"

O Papa dedicou seu encontro com os fiéis na manhã deste domingo (14/05) à peregrinação realizada em Fátima (Portugal) nos últimos dias. Cedo pela manhã, o Pontífice manteve o seu hábito de ir à Basílica de Santa Maria Maior, onde permaneceu por cerca de 20 minutos diante do ícone de Maria Salus Popoli Romani, em ação de graças pelo êxito da peregrinação.
Papa recorda peregrinação a Fátima
Na Praça São Pedro, antes de rezar a oração Mariana do Regina Coeli, Francisco fez um relato dos momentos mais salientes desta visita aos pés da Virgem Mãe, realizada ‘como peregrino de esperança e de paz’.

Iniciando, o Papa falou do momento de silêncio, em contemplação, que viveu na Capela das Aparições, sexta-feira (12/05), logo após a chegada:
No centro de tudo esteve e está o Senhor Ressuscitado, presente em meio a seu Povo na Palavra e na Eucaristia. Presente em meio aos muitos doentes, protagonistas da vida litúrgica e pastoral de Fátima, como em todo Santuário mariano”.

Em seguida, o Papa lembrou que a Virgem, em Fátima, quis escolher o coração inocente e a simplicidade dos pequenos Francisco, Jacinta e Lucia para depositar sua mensagem:
“Estas crianças a acolheram dignamente, e foram reconhecidas como testemunhas críveis, ao ponto de ser modelos de vida cristã. Sua santidade não é consequência das aparições, mas da fidelidade e do ardor com que corresponderam ao privilégio recebido de ver Maria. Depois do encontro com a ‘bela Senhora’, rezavam frequentemente o terço, faziam penitência e ofereciam sacrifícios pelo fim da guerra e pelas almas mais necessitadas da divina misericórdia”.

“Com a canonização de Francisco e Jacinta, quis propor a toda a Igreja o seu exemplo de adesão a Cristo e de testemunho evangélico, e recomendar a toda a Igreja que cuide das crianças”.

Convidando os fiéis a se deixarem guiar pela luz que provém de Fátima, o Papa lembrou:
“Ainda em nossos dias, precisamos muito de orações e penitência para implorar a graça da conversão, assim como o fim das muitas guerras em tantos lugares do mundo, que se estendem sempre mais, assim como o fim dos absurdos conflitos, grandes e familiares, que desfiguram o rosto da humanidade”.


“Que o Coração Imaculado de Maria seja sempre o nosso refúgio, a nossa consolação e o caminho que nos conduz a Cristo”. 
Fonte: http://br.radiovaticana.va/news/2017/05/14/papa_no_regina_coeli_igreja_cuide_das_crian%C3%A7as/1312175

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Canonização de Francisco e Jacinta exigiu "revolução" na Igreja

Pastorinhos são as primeiras crianças não-mártires a ser declaradas como santas

Escrito por: Octávio Carmo, enviado da Agência ECCLESIA ao Vaticano
A canonização dos pastorinhos Francisco e Jacinta Marto, a que o Papa vai presidir este sábado, só foi possível graças a uma “revolução” na prática habitual da Igreja, explica o cardeal português D. José Saraiva Martins.
As duas crianças, as mais novas dos videntes de Fátima, vão tornar-se a 13 de maio os mais jovens santos não-mártires na história da Igreja Católica, 17 anos após a sua beatificação, também na Cova da Iria,
O antigo prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, que acompanhou este processo, recorda que antes da beatificação dos pastorinhos de Fátima, em 2010, a Igreja acreditava que as crianças, devido à sua idade, “ainda não tinham a capacidade de praticar em grau heroico as virtudes cristãs”.
“Eu aqui fiz uma revolução, porque estava convencido de que o Francisco e a Jacinta praticaram as virtudes cristãs que talvez não tenham os adultos”, refere D. José Saraiva Martins à Agência ECCLESIA.
O cardeal dá como exemplo a atitude dos pastorinhos durante os interrogatórios de agosto de 1917, nos quais se mostraram prontos a morrer, recusando mentir.
“Preferir morrer a dizer uma mentira: gostaria de saber quantos adultos teriam esta heroicidade”, realça.
A causa de canonização dos pastorinhos contou, ao longo dos anos, com o apoio de fiéis e responsáveis da Igreja em todo o mundo, que escreveram ao Vaticano para solicitar que o mesmo avançasse.
Foi no pontificado de João Paulo II que se decidiu analisar, com a ajuda de peritos – teólogos, psicólogos, pedagogos – a possibilidade de beatificar crianças que morreram aos 10 e 9 anos, superando a oposição existente.
processo começou há mais de meio século, já após a trasladação dos restos mortais de Francisco e Jacinta Marto para a Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima.
A 30 de abril de 1952, D. José Alves Correia da Silva, bispo de Leiria, procedeu à abertura dos dois processos diocesanos sobre a vida, virtudes e fama de santidade de Francisco e de Jacinta, que contou com 140 sessões e 52 testemunhos.
Esta fase diocesana só seria encerrada em 1979, seguindo então para o Vaticano, onde em 1989 o Papa João Paulo II assinou o decreto de heroicidade das virtudes do Francisco e da Jacinta
“Os decretos das virtudes dos irmãos Marto, e a consequente concessão do título de veneráveis, representam um momento verdadeiramente significativo para a História da Igreja, na medida em que, pela primeira vez, e depois de um longo período de reflexão teológica iniciada precisamente em resposta à Causa dos dois pastorinhos de Fátima, é reconhecida a heroicidade das virtudes e a maturidade de fé de crianças não-mártires, abrindo assim o precedente para que a santidade das crianças seja reconhecida”, refere uma nota do Santuário de Fátima.
Após esta decisão, seguiu-se o necessário reconhecimento de milagres atribuídos à intercessão dos pastorinhos, que levaram à sua beatificação e, agora, canonização, alargando o seu culto para o âmbito universal, na Igreja Católica.
Fonte: http://www.agencia.ecclesia.pt/noticias/nacional/fatima-2017-canonizacao-de-francisco-e-jacinta-exigiu-revolucao-na-igreja/