quarta-feira, 21 de agosto de 2019

9º Encontrão da Perseverança do Vicariato Leopoldina

Aconteceu no dia 10 de agosto na Paróquia Nossa Senhora do Bonsucesso de Inhaúma.
O primeiro tema trabalhado foi “Perseverar na Palavra” com a palestrante Iara Menezes, coordenadora arquidiocesana da Perseverança. Logo após, o tema “Nós amamos porque Deus nos ou primeiro (I Jo 4,19)” foi ministrado pela Ir. Lucia Imaculada.



Tivemos também a celebração com o Pe. Anderson e animação com os perseverantes da Paroquia São Rafael Arcanjo.
Contamos com diversas foranias do Vicariato totalizando 150 participantes no evento.

Sheila Campista – coordenadora da Perseverança do Vicariato Leopoldina 

quinta-feira, 27 de junho de 2019

Visitou o Santíssimo cada dia de sua vida graças a menina que morreu pela Eucaristia

O Arcebispo Fulton Sheen, Servo de Deus em processo de beatificação e a quem é atribuído um possível milagre, contou meses antes da sua morte em 1979 que sua maior inspiração foi uma menina chinesa de onze anos que morreu pela Eucaristia.
O Arcebispo Sheen relatou durante uma entrevista que quando os comunistas se apoderaram da China por volta do século XX, prenderam um sacerdote em sua própria reitoria próximo à Igreja. O sacerdote observou assustado, de sua janela, como os comunistas invadiram o templo.
Eles pegaram do tabernáculo as âmbulas com as espécies sagradas, atirando-a ao chão, espalharam-se as 32 hóstias consagradas. Na parte de trás da igreja havia uma menininha que rezava e viu tudo o que tinha acontecido.
À noite, a pequena regressou e, escapando da guarda posta na reitoria, entrou no templo. Ali, fez uma hora santa de oração, um ato de amor para reparar o ato sacrílego. Depois, ajoelhou-se e, inclinando-se para frente, com sua língua comungou uma das Sagradas Hóstias. Cabe recordar que, naquele tempo, os leigos não podiam tocar a Eucaristia com suas mãos.
A menina regressou a cada noite e, depois de sua hora santa, recebia Jesus Eucarístico na língua. Na trigésima segunda noite, depois de consumir a última hóstia, acidentalmente fez um barulho que despertou o guarda. Este correu atrás dela, agarrou-a e golpeou-a até matá-la com a parte posterior de sua arma.
O sacerdote preso presenciou profundamente abatido este ato de martírio heroico. Posteriormente, quando o Arcebispo Sheen escutou o relato, prometeu a Deus que faria uma hora santa diária diante de Jesus Sacramentado, pelo resto de sua vida.  
A pequena ensinou ao Bispo a coragem e o amor que devemos ter pelo Santíssimo Sacramento e como a fé pode vencer o medo porque o verdadeiro amor à Eucaristia deve transcender à própria vida.

Sobre o Servo de Deus Arcebispo Sheen
O Arcebispo Sheen nasceu no dia 8 de maio de 1895 nos Estados Unidos. Foi ordenado sacerdote em 1919 e logo se tornou uma pessoa importante no rádio, na década de 1930.
Foi anfitrião do programa de rádio “Hora Católica” e do programa de televisão “A Vida vale a pena ser vivida”, ganhador do Emmy, e chegou a uma audiência de milhões de pessoas durante sua carreira nos meios de comunicação.
O Servo de Deus Fulton Sheen escreveu vários livros e dirigiu a Sociedade para a Propagação da Fé nos Estados Unidos.
O Arcebispo dedicou o dinheiro obtido com seus livros às missões no exterior. Seu trabalho ajudou a criar 9 mil clínicas, 10 mil orfanatos 1200 escolas. As instituições ajudadas através das suas doações atualmente educam 80 mil seminaristas e 9 mil religiosas.
O Servo de Deus continuou sendo uma figura líder do catolicismo nos Estados Unidos até sua morte, em 1979, aos 84 anos de idade.
Dom Jenky iniciou a causa de canonização do Arcebispo Sheen em 2002. Em 2012 o Papa Bento XVI reconheceu as virtudes heroicas de Fulton Sheen e em março de 2014 uma declaração médica do Vaticano certificou que o milagre atribuído a sua intercessão não podia ser explicado pela ciência.
Este milagre foi a cura de James Fulton Engstrom, um menino que aparentemente havia nascido morto em setembro de 2010, filho de Bonnie e Travis Engstrom, no povoado de Goodfield, na região de Peoria.
O pequeno James não mostrou sinais de vida quando os médicos tentaram reanimá-lo, por isso, seus pais pediram ao Servo de Deus para que o curasse.
Apesar de o bebê não apresentar pulsação durante uma hora depois do seu nascimento, seu coração começou a bater outra vez.
O estudo deste possível milagre também obteve o visto da Comissão de Teólogos em junho de 2014.