quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Capacitação para novos assistentes religiosos que atuarão com adolescentes privados de liberdade


A comissão responsável pela Assistência Religiosa aos Adolescentes Privados de Liberdade, da Arquidiocese do Rio de Janeiro promoverá um curso de capacitação para novos assistentes na Paróquia Nossa Senhora Aparecida, no Moneró, Ilha do Governador, no dia 21 de agosto, das 8h30 às 17h.
Há 19 anos o grupo de assistência religiosa trabalha com o objetivo de atender aos jovens internos do Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Degase), que são privados de liberdade. A equipe, composta por cerca de 50 assistentes religiosos, realiza trabalhos de evangelização, visitando as unidades e levando a mensagem de Cristo e o conforto espiritual no intuito de renovar o coração dos adolescentes que cumprem medida socioeducativa de privação de liberdade.
De acordo com o coordenador de assistência religiosa, diácono Roberto dos Santos, a principal dificuldade do grupo é o baixo número de assistentes disponíveis para se dedicar a esse trabalho pastoral.
“Estamos com algumas unidades com muita pouca presença. Precisamos de mais pessoas que possam dedicar um pouco da própria vida a esse trabalho junto a jovens que estão cumprindo medida socioeducativa de privação de liberdade. Para isso, ainda necessitamos, pelo menos, de mais 20 assistentes religiosos. Tanto leigos quanto religiosos consagrados são convidados a participar deste belo trabalho da Igreja. Além da visitação, esses assistentes podem participar também como apoio fazendo, por exemplo, contato com as famílias dos jovens, promovendo momentos de oração por cada um deles e organizando campanhas de materiais religiosos e de necessidades básicas de higiene pessoal”, disse.
Ainda segundo o diácono, é fundamental que aqueles que desejam participar tenham uma vivência de Igreja junto à paróquia de origem ou uma comunidade religiosa. Para participar, os interessados devem preencher a ficha de inscrição através da Pastoral do Menor pelo telefone: (21) 2292-3132 ramal 326, ou na Paróquia Nossa Senhora Aparecida através do número: (21) 2462-3267. Os participantes devem apresentar uma carta de recomendação do pároco.

Fonte: http://arqrio.org/noticias/detalhes/5987/capacitacao-para-novos-assistentes-religiosos-que-atuarao-com-adolescentes-privados-de-liberdade

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Coroinhas: uma missão que vem do coração de Deus

Em 2004, o então Papa São João Paulo II escreveu uma carta aos sacerdotes, na qual afirmou: “Cuidai especialmente dos coroinhas, que são como um ‘viveiro’ de vocações sacerdotais”. O Pontífice já sabia que o importante trabalho realizado pelos milhares de coroinhas, junto ao altar de Cristo, é a oportunidade ideal para plantar a semente da vocação no coração dos pequenos.
Essa tem sido a tarefa das comunidades paroquiais, principalmente a Paróquia Jesus de Nazaré, localizada no Complexo da Maré, que acolheu 26 novos coroinhas, além de quatro cerimoniários, durante a Missa de Investidura, presidida pelo Cardeal Orani João Tempesta, no dia 23 de julho. Agora, a paróquia alcançou a marca de 60 crianças, adolescentes e jovens que contribuem nas celebrações.
A declaração feita por São João Paulo II também é compartilhada pelo pároco, padre Jorge Lutz, que tomou posse na comunidade no dia 16 de janeiro de 2017. Segundo ele, esse é um caminho que pode despertar a vocação religiosa. “Algumas crianças possuem uma inquietude e nos questionam como é ser padre ou religiosa. Essa é uma oportunidade para plantar a semente”, completou.
Para o padre Jorge Lutz, esse também é um meio para fazer com que os pequenos e jovens cresçam como bons cristãos e bons cidadãos. “Esse trabalho é importante porque a criança tem a oportunidade de crescer em valores e humanamente. A comunidade, por vezes, é violenta, e com isso perde seus princípios. Na igreja, eles encontram uma alternativa de paz e convivência entre irmãos. É uma alternativa diante de outras possibilidades de vida”, pontuou.
Pe. Jorge Lutz

O sacerdote acrescentou que as crianças participam ativamente da catequese e que algumas, após a Primeira Eucaristia, atuam na perseverança. Todos participaram de um processo de formação para compreender a liturgia e os trabalhos realizados durante a missa. Eles podem desempenhar a função de coroinha ou marianinha entre sete e 15 anos de idade. A partir disso, os jovens assumem o cargo de cerimoniários.



Sede de Deus
A coordenadora dos coroinhas, Clara Nathaly da Silva Cajueiro, explicou como acontecem os encontros de formação. “Encontramo-nos uma vez por semana. Falamos sobre a liturgia, apresentamos os objetos sagrados, os paramentos sacerdotais e as funções que cada um deve desempenhar, além de sempre conversarmos sobre a importância de ser um coroinha orante tanto nas celebrações quanto na vida pessoal”, contou.
Clara também afirmou o desejo dos coroinhas em buscar a Deus. “Como vivemos numa comunidade carente, os pais precisam trabalhar, e as crianças necessitam de mais atenção. Nesse período, percebi que eles têm sede de Deus, que desejam buscar ao Senhor. Para mim, tem sido uma grande responsabilidade, pois eles me enxergam como uma amiga”, destacou.

O desejo de servir
Tal como a Igreja, as pastorais também precisam ser abertas a todos, sem distinção de pessoas. O próprio desejo de servir é, primeiro, uma vontade de Deus em ter Seus filhos cada vez mais próximos. Foi isso o que aconteceu com Moacir Souza de Lima, de 21 anos.
Desde muito novo, o jovem sempre sonhou em servir junto ao Altar, o que, no início, não teve incentivo da mãe, Regina Cláudia Souza de Lima. “Esse sempre foi um sonho dele, mas eu não incentivava, pois acreditava que ele não conseguiria servir, uma vez que ele sofre de uma deficiência que atrasa o seu desenvolvimento mental”, disse.
Porém, tal obstáculo não foi suficiente para interromper os sonhos de Deus para a vida do Moacir, que atualmente serve como cerimoniário. “Estou muito feliz, ver o meu filho servir é uma bênção. Ele vai à missa todos os dias. Por vezes, ele não está nem escalado, mesmo assim, jamais deixou de participar”, relatou a mãe.
Laila Oliveira Leonardo, de 10 anos, também sentiu o mesmo desejo de Moacir, o que também, no início, não teve crédito da mãe, Francisca Oliveira. “Foi ela quem pediu para participar. Fiquei muito surpresa e, no início, não levei a sério. Mas ela começou a frequentar as formações e passou a se interessar cada dia mais”, pontuou Francisca.
Em novembro de 2016, Laila recebeu as vestimentas, e até hoje continua servindo na comunidade, mesmo com a pouca idade. Segundo Francisca, “ela tem crescido muito; isso deu mais maturidade a ela. Laila tem uma irmã gêmea, Nicole, que é cadeirante e atua na Pastoral do Acolhimento. Desde cedo, Laila sempre foi muito independente, e isso a deixou muito carente. Hoje percebo o quanto ela está mais calma”, completou.

Fonte: http://arqrio.org/noticias/detalhes/6000/coroinhas-uma-missao-que-vem-do-coracao-de-deus e Jornal Testemunho de Fé, edição 859, páginas 12 e 13

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Peregrinação à Paróquia Nossa Senhora Aparecida

Os grupos de catequese e perseverança da 6ª Forania do Vicariato Suburbano realizaram, no dia 1º de julho, uma peregrinação à Paróquia Nossa Senhora Aparecida, em Del Castilho.
As crianças e adolescentes participaram da missa presidida pelo bispo auxiliar da Arquidiocese do Rio Dom Joel Portella Amado e concelebrada pelos padres Rodrigo de Oliveira Dias, pároco da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, e Benedito Jales Dantas, da Paróquia Nossa Senhora do Rosário.
“Foi a oportunidade das crianças e adolescentes realizarem a sua peregrinação, e as condições para alcançar a indulgência plenária, com a qual o Papa nos agraciou, além de estimular e fomentar a devoção mariana nos pequeninos. Foi um verdadeiro dia de louvor e unidade entre as paróquias”, destacou o padre Rodrigo, recordando o Ano Mariano no Brasil e a celebração dos 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida, no rio Paraíba do Sul.
A peregrinação foi uma oportunidade de dialogar e compartilhar experiências com as crianças, encorajando-as nos momentos de dificuldades, nos quais Dom Joel abordou a história dos pescadores que encontraram a imagem de Nossa Senhora Aparecida.
“Eles buscavam peixe, e encontraram uma imagem quebrada. Ao invés da frustração, eles viram naquela imagem os sinais de Deus. Esse é o grande segredo: devemos ver os sinais de Deus no dia a dia. Essa deve ser a nossa atitude quando esperamos uma coisa da vida, e elas nos oferecem outra”, citou o bispo auxiliar.
Dom Joel abordou pontos importantes da peregrinação para a formação religiosa dos jovens.
“Primeiro, é uma experiência significativa para a união das paróquias, de reforçar a cultura da unidade entre as paróquias, que muitas vezes se preocupa com a sua própria igreja, esquecendo que é necessário juntar forças. Segundo, manifestar a presença religiosa junto às crianças, falando da fé desde pequeno e tornando a igreja como um ambiente natural; isso é muito importante no processo formador. Terceiro, ajudar as crianças, através da Virgem Maria, a compreenderem a identidade de fé e alegria de ser brasileiro, que embora não compreendam muito bem o cenário atual, ouvem notícias ruins do Brasil que podem influenciar. Através de encontros, devemos fortalecer nas crianças essa imagem positiva, para que no futuro possam trabalhar por um Brasil diferente do atual. Por último, hoje em dia a criança leva a família para a igreja, e trabalhando nas crianças, estamos trabalhando diretamente na sua família”.
No final da celebração, foram realizadas uma simples e bonita encenação e coroação de Nossa Senhora e a bênção sobre os catequistas.
“Nunca percam a beleza da vida em comunidade. Na paróquia ou na capela é possível fazer uma amizade sincera. Tenho vínculos muito fortes que obtive quando criança e mantenho até hoje, então aproveitem, descubram e conheçam Jesus, e que nunca deixem que essa chama da fé vivida em comunidade se apague”, disse Dom Joel, encorajando os jovens na caminhada e vida em comunidade.
Ano Mariano
No Ano Jubilar Mariano, o Papa Francisco concedeu indulgência plenária para aqueles que, “verdadeiramente penitentes e impulsionados pela caridade”, visitarem em peregrinação o Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, em Aparecida, São Paulo, ou qualquer paróquia do Brasil dedicada à padroeira do Brasil. Para alcançar a indulgência plenária durante o Ano Mariano, é preciso a confissão sacramental, a comunhão eucarística e orações na intenção do Santo Padre. 

Fonte: http://arqrio.org/noticias/detalhes/5966/peregrinacao-a-paroquia-nossa-senhora-aparecida

Fotos: Sérgio Ribamar

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Santa Sé envia aos bispos orientações sobre o pão e o vinho para a comunhão Eucarística

A pedido do Papa Francisco, a Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos dirigiu aos Bispos diocesanos, incluindo os bispos brasileiros, uma carta-circular a respeito do pão e do vinho da Eucaristia e seu processo de produção, circulação e consumo. O documento pede que as igrejas locais cerquem de maior cuidado todo o processo.
A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), à luz da Santa Sé e da doutrina da Igreja, já se manifestou especificamente sobre os celíacos em Orientações Pastorais enviadas aos bispos após a reunião do Conselho Permanente, em junho de 2016.
O documento da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, enviado aos bispos recentemente, determina que as hóstias completamente sem glúten são matéria inválida para a eucaristia. As que são válidas “são as hóstias parcialmente desprovidas de glúten, de modo que nelas esteja presente uma quantidade de glúten suficiente para obter a panificação, sem acréscimo de substâncias estranhas e sem recorrer a procedimentos tais que desnaturem o pão”.
O documento recorda aos prelados que cabe a eles providenciar dignamente tudo o que é necessário para a celebração da Ceia do Senhor. “Compete-lhe vigiar a qualidade do pão e do vinho destinados à Eucaristia e também atestar a qualidade daqueles que os fabricam”, diz o documento.
O Dicastério manifesta preocupação com a venda da matéria eucarística em supermercados, lojas ou até mesmo pela internet. “O Ordinário deve recordar aos sacerdotes, em particular aos párocos e aos reitores das igrejas, a sua responsabilidade em verificar quem é que fabrica o pão e o vinho para a celebração e a conformidade da matéria”, mediante inclusive a apresentação de certificados. A Congregação exige que o pão deve ser ázimo, unicamente feito de trigo. Introduzir outras substâncias na fabricação do pão, como açúcar, frutas ou mel, é considerado um abuso grave pela Igreja.
O discatério destaca ainda que os fabricantes devem ter a consciência de seu trabalho destina-se ao Sacrifício Eucarístico e por isso lhes é pedido honestidade, responsabilidade e competência. O documento sugeriu que cada Conferência, no caso do Brasil, a CNBB, encarregue uma ou duas congregações religiosas para verificar a produção, a conversação e a venda do pão e vinho para as celebrações eucarísticas.

terça-feira, 20 de junho de 2017

Papa Francisco:"Adolescência é fase difícil, mas não é uma doença!"


“Uma cultura sem raízes, uma família sem raízes é uma família sem história, sem memória”. Foi o que disse o Papa na abertura do Congresso diocesano de Roma, na Basílica de S. João de Latrão, na noite de segunda-feira (19/06). Francisco também convidou a estar ao lado dos adolescentes, recordando que esta fase da vida é ‘difícil’, mas não é uma ‘patologia.
A oração em ‘romanesco’
O Congresso diocesano deste ano tem como tema “Acompanhar os pais na educação dos filhos adolescentes”. Dirigindo-se às famílias, o Papa disse: “Vocês vivem as tensões desta grande cidade: o trabalho, a distâncias, o tempo reduzido, o dinheiro que nunca é suficiente. Por isso, para simplificar, rezem em dialeto, pensando nas suas famílias e em como formar seus filhos no âmbito desta realidade”.
Atenção à sociedade ‘desenraizada’
“Muitas vezes – disse o Papa – oferecemos a nossos filhos uma formação excessiva em campos que consideramos importantes para seu futuro e pretendemos que eles deem o máximo. Mas não damos tanta importância ao fato que devem conhecer sua terra, suas raízes”.
Adolescência, fase de crescimento para os jovens
Para o Papa, a adolescência “é um tempo precioso na vida dos filhos; um tempo difícil, de mudanças e instabilidade... uma fase que traz riscos e dúvidas, mas crescimento para eles e para toda a família”.
Francisco disse também que lhe preocupa a tendência atual dos pais de ‘medicar’ precocemente os jovens. “Parece que tudo se resolve medicando ou controlando tudo com o slogan ‘desfrutar o tempo ao máximo’ e assim, a agenda dos jovens fica pior do que a de um executivo”. Portanto, “a adolescência não é uma patologia que precisamos combater; faz parte do crescimento natural”.
“Eles querem se sentir – logicamente – protagonistas”, “procuram muitas vezes sentir aquela ‘vertigem’ que os faça sentir vivos”. “Assim, temos que encorajá-los a transformar seus sonhos em projetos! Proponhamos grandes objetivos e ajudemo-los a realizá-los!”.
Atenção à juventude eterna e ao consumismo
“Hoje há uma espécie de competição entre pais e filhos: o paradigma e modelo de sucesso é ‘a eterna juventude’. Ao que parece, crescer e envelhecer é ‘um mal’, é sinônimo de frustração e de uma vida acabada. Tudo deve ser mascarado e dissimulado”. “Como é triste que as pessoas façam ‘lifting’ no coração! É doloroso que se queira cancelar as rugas dos encontros, das alegrias e tristezas!”.
O outro perigo é o consumismo
“Educar à austeridade é uma riqueza incomparável. Desperta a criatividade, gera possibilidades e especialmente, abre ao trabalho em grupo, à solidariedade; abre aos outros”.
O agradecimento ao Cardeal Vallini
Enfim, o Papa agradeceu o Card. Agostino Vallini, que deixa seu cargo de Vigário-geral de Roma a Dom Angelo De Donatis. “Nestes anos – disse Francisco – o Card. Vallini “me manteve com os pés no chão”. 

Fonte: http://br.radiovaticana.va/news/2017/06/20/papa_adolesc%C3%AAncia_%C3%A9_fase_dif%C3%ADcil,_mas_n%C3%A3o_%C3%A9_uma_doen%C3%A7a!/1320124

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Perseverança e EAC da Paróquia Nossa Senhora de Fátima e São João de Deus realizou 2ª Holi Christi

A Pastoral da Perseverança e o Encontro de Adolescentes com Cristo (E.A.C), com o apoio de outras pastorais da Paróquia Nossa Senhora de Fátima e São João de Deus, no Jardim Novo, em Realengo, realizaram a segunda “Festa Holi Christi”, no dia 3 de junho.

O administrador paroquial, padre Renan Feres Ferreira, falou que o evento cumpre a ordem dada por São Paulo: “Alegrai-vos sempre no Senhor” (Fl 4.4). “Quando as pessoas percebem que existe alegria em seguir a Cristo, estar na Igreja torna-se parte essencial da vida. Foi o que fizeram as crianças, adolescentes e jovens, não só da comunidade, vivendo a fraternidade e a felicidade de estarem dentro da casa de Deus num ambiente saudável e familiar”, disse. Em um clima de alegria, paz e harmonia, centenas de crianças, adolescentes e jovens dançaram, brincaram e se divertiram, colorindo uns aos outros.


Fontes: http://digital.maven.com.br/pub/otestemunhodefe/#page/4
             https://www.facebook.com/pnsfatimasjdeus/?rf=155696061201093

Perseverança da Paróquia São Pedro do Mar rezou o Terço na Praça

O Grupo de Perseverança da Paróquia São Pedro do Mar (Recreio dos Bandeirantes) se reuniu na Praça do Barra Bonita, no Recreio dos Bandeirantes para o encerramento do Mês Mariano com a Oração do Santo Terço e momentos de espiritualidade e alegria! Realizado em 27 de maio.

Fonte: https://www.facebook.com/saopedro.domar/

terça-feira, 30 de maio de 2017

Aconteceu no 5° Jornada Nacional da Infância e Adolescência Missionária


Aconteceu no dia 28 de maio na Paróquia Nossa Senhora do Carmo, a 5° Jornada Nacional da Infância e Adolescência Missionária, que reuniu 10 grupos da IAM da ArqRio(cerca de 200 pessoas entre crianças, adolescentes e assessores) para celebrar os 174 anos dessa Pontifícia Obra Missionária e firmarem o compromisso de rezar e ajudar aos missionários e crianças da Oceania.

 Participaram da celebração da Jornada os grupos da IAM das seguinte Paróquias: Nossa Senhora do Carmo (Vila Kosmos), Santo Sepulcro (Madureira), Nossa Senhora do Divino Amor (Irajá), Divino Salvador (Piedade, Nossa Senhora de Fátima RTS  (Todos os Santos), São Sebastião (Ilha do Governador), Santa Bárbara (Rocha Miranda), São Sebastião (Parada de Lucas), São Marcos (Barra da Tijuca) e Santa Rita de Cássia (Turiaçu).

Ao chegarem os grupos foram acolhidos de forma muito fraterna pelos adolescentes missionários da Paróquia que sediava o evento, que direcionaram os demais irmãos à quadra, onde se iniciou o encontro com o café da manhã. Em seguida, partimos para o auditório paroquial, onde fomos recepcionados com muita alegria pelo Coralzinho Nossa Senhora do Carmo, que nos animou naquele início de manhã. Logo após, Celeste Alves, coordenadora diocesana da IAM, conduziu junto com um adolescente a Oração Inicial, apresentou os grupos que estavam presentes e apresentou uma breve retrospectiva das quatro jornadas, acontecidas anteriormente, entre os anos de 2013 e 2016.

Às 10 horas da manhã, deu se início a Santa Missa em Ação de Graças pela 5°Jornada, presidida pelo Frei Silvio Ferrari, da Paroquia Nossa Senhora do Carmo e concelebrada pelo Diácono Edimilson Prudêncio, da Paróquia Nossa Senhora do Divino Amor. Durante sua homilia, Frei Silvio falava a  toda comunidade e de modo especial as crianças, sobre a importância de ser amigo de Jesus e que para alcançarmos essa amizade precisamos fazer e obedecer a vontade do Pai. Às 12 horas recitamos a Oração do Angelus, em seguida demos início a Celebração da Jornada, onde os novos integrantes da IAM receberam de seus assessores, o lenço e o boton, e junto dos membros antigos se consagraram e firmaram o compromisso de continuarem à serviço da missão, de modo especial ao continente da Oceania. Encerrando o mês Mariano, coroamos a imag em de Nossa Senhora Aparecida, através de uma belíssima apresentação feita por adolescentes da Paróquia sede.

Após o término da celebração da Jornada , houve um tempo destinado a recreação e atividades livres, onde os pequenos missionários puderam se confraternizar com os irmãos das outras paróquias com até uma brincadeira das crianças da Oceania; às 14 horas encerramos nossas atividades comemorando os 174 anos da IAM com a entrega das lembranças aos participantes.

Como gesto concreto os grupos arrecadaram 146 quilos de alimentos não perecíveis que serão destinados ao Grupo Sementinha e os cofrinhos que serão enviados para a Oceania, em prol da construção de locais que ajudem as crianças do continente "azul".

Por Pedro Henrique da Silva Pereira

Veja mais fotos:

terça-feira, 23 de maio de 2017

Semana Eucarística

Convidamos a todos os catequistas, crianças e adolescentes da Iniciação Cristã a participarem da Semana Eucarística com Missa celebrada por Dom Orani, no dia 10 de junho ás 08h30 na Igreja de  Sant'Ana, Praça Dom Sebastião Leme, nº 11, Praça Onze. 

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Aconteceu no Encontro da Pré Catequese Infantil do Vic. Suburbano


Aconteceu o Encontro da Pré Catequese Infantil no dia 07 de maio, na Paróquia N. S. do Carmo, com a presença de 38 catequistas do Vicariato Suburbano.
O encontro começou com as boas vindas e benção do Frei Silvio, que acolheu a todos falando em breves palavras sobre o Ano Mariano e como é importante fazer como Maria disse: "Fazei tudo o que Ele vos disser."

Após isso fizemos uma dinâmica de oração, onde em duplas intercedemos uns pelos outros; pedindo a Deus que nos dê força, ânimo e alegria na missão de evangelizar os pequeninos.

Após este momento, tivemos descontração, dinâmicas e músicas com gestos.

 A equipe trouxe novidades e compartilhou com todos. Houve várias atividades que falou sobre a família, sugestões para o dia das mães com dobradura, não deixando faltar até bolsa de valores, santos juninos, importância do pai, falando um pouco sobre São José.
Houve também vários tipos de sugestões de lembrancinhas onde são utilizados materiais simples como: CD velho, garrafas PET, etc.

Tivemos a alegria da participação das crianças da catequese de N. S. do Carmo que homenagearam Nossa Senhora com uma singela coroação.
 O encontro foi finalizado com a reza do terço, onde cada forania ficou responsável em montá-lo com sua respectiva cor. Rezamos este terço agradecendo pela realização de mais um encontro e pedindo as bençãos de N. S. sobre todos nós.



5ª Jornada Nacional da Infância e Adolescência Missionária


Papa abraça Lucas, a criança "milagre" de Fátima

Lucas, a criança "milagre" de Fátima, recebeu, este sábado, um abraço do Papa Francisco no altar do Santuário.

A criança brasileira curada por intercessão dos pastorinhos Francisco e Jacinta Marto, canonizados esta manhã na Cova da Iria, esteve entre os milhares de fiéis que assistiram à missa celebrada pelo Papa Francisco. Este "milagre" foi reconhecido pelo Vaticano e está na base da canonização dos dois pastorinhos.

Fonte: http://www.jn.pt/nacional/interior/papa-abraca-lucas-a-crianca-milagre-de-fatima-8473058.html

Papa Francisco no Regina Coeli: "Igreja cuide das crianças"

O Papa dedicou seu encontro com os fiéis na manhã deste domingo (14/05) à peregrinação realizada em Fátima (Portugal) nos últimos dias. Cedo pela manhã, o Pontífice manteve o seu hábito de ir à Basílica de Santa Maria Maior, onde permaneceu por cerca de 20 minutos diante do ícone de Maria Salus Popoli Romani, em ação de graças pelo êxito da peregrinação.
Papa recorda peregrinação a Fátima
Na Praça São Pedro, antes de rezar a oração Mariana do Regina Coeli, Francisco fez um relato dos momentos mais salientes desta visita aos pés da Virgem Mãe, realizada ‘como peregrino de esperança e de paz’.

Iniciando, o Papa falou do momento de silêncio, em contemplação, que viveu na Capela das Aparições, sexta-feira (12/05), logo após a chegada:
No centro de tudo esteve e está o Senhor Ressuscitado, presente em meio a seu Povo na Palavra e na Eucaristia. Presente em meio aos muitos doentes, protagonistas da vida litúrgica e pastoral de Fátima, como em todo Santuário mariano”.

Em seguida, o Papa lembrou que a Virgem, em Fátima, quis escolher o coração inocente e a simplicidade dos pequenos Francisco, Jacinta e Lucia para depositar sua mensagem:
“Estas crianças a acolheram dignamente, e foram reconhecidas como testemunhas críveis, ao ponto de ser modelos de vida cristã. Sua santidade não é consequência das aparições, mas da fidelidade e do ardor com que corresponderam ao privilégio recebido de ver Maria. Depois do encontro com a ‘bela Senhora’, rezavam frequentemente o terço, faziam penitência e ofereciam sacrifícios pelo fim da guerra e pelas almas mais necessitadas da divina misericórdia”.

“Com a canonização de Francisco e Jacinta, quis propor a toda a Igreja o seu exemplo de adesão a Cristo e de testemunho evangélico, e recomendar a toda a Igreja que cuide das crianças”.

Convidando os fiéis a se deixarem guiar pela luz que provém de Fátima, o Papa lembrou:
“Ainda em nossos dias, precisamos muito de orações e penitência para implorar a graça da conversão, assim como o fim das muitas guerras em tantos lugares do mundo, que se estendem sempre mais, assim como o fim dos absurdos conflitos, grandes e familiares, que desfiguram o rosto da humanidade”.


“Que o Coração Imaculado de Maria seja sempre o nosso refúgio, a nossa consolação e o caminho que nos conduz a Cristo”. 
Fonte: http://br.radiovaticana.va/news/2017/05/14/papa_no_regina_coeli_igreja_cuide_das_crian%C3%A7as/1312175

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Canonização de Francisco e Jacinta exigiu "revolução" na Igreja

Pastorinhos são as primeiras crianças não-mártires a ser declaradas como santas

Escrito por: Octávio Carmo, enviado da Agência ECCLESIA ao Vaticano
A canonização dos pastorinhos Francisco e Jacinta Marto, a que o Papa vai presidir este sábado, só foi possível graças a uma “revolução” na prática habitual da Igreja, explica o cardeal português D. José Saraiva Martins.
As duas crianças, as mais novas dos videntes de Fátima, vão tornar-se a 13 de maio os mais jovens santos não-mártires na história da Igreja Católica, 17 anos após a sua beatificação, também na Cova da Iria,
O antigo prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, que acompanhou este processo, recorda que antes da beatificação dos pastorinhos de Fátima, em 2010, a Igreja acreditava que as crianças, devido à sua idade, “ainda não tinham a capacidade de praticar em grau heroico as virtudes cristãs”.
“Eu aqui fiz uma revolução, porque estava convencido de que o Francisco e a Jacinta praticaram as virtudes cristãs que talvez não tenham os adultos”, refere D. José Saraiva Martins à Agência ECCLESIA.
O cardeal dá como exemplo a atitude dos pastorinhos durante os interrogatórios de agosto de 1917, nos quais se mostraram prontos a morrer, recusando mentir.
“Preferir morrer a dizer uma mentira: gostaria de saber quantos adultos teriam esta heroicidade”, realça.
A causa de canonização dos pastorinhos contou, ao longo dos anos, com o apoio de fiéis e responsáveis da Igreja em todo o mundo, que escreveram ao Vaticano para solicitar que o mesmo avançasse.
Foi no pontificado de João Paulo II que se decidiu analisar, com a ajuda de peritos – teólogos, psicólogos, pedagogos – a possibilidade de beatificar crianças que morreram aos 10 e 9 anos, superando a oposição existente.
processo começou há mais de meio século, já após a trasladação dos restos mortais de Francisco e Jacinta Marto para a Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima.
A 30 de abril de 1952, D. José Alves Correia da Silva, bispo de Leiria, procedeu à abertura dos dois processos diocesanos sobre a vida, virtudes e fama de santidade de Francisco e de Jacinta, que contou com 140 sessões e 52 testemunhos.
Esta fase diocesana só seria encerrada em 1979, seguindo então para o Vaticano, onde em 1989 o Papa João Paulo II assinou o decreto de heroicidade das virtudes do Francisco e da Jacinta
“Os decretos das virtudes dos irmãos Marto, e a consequente concessão do título de veneráveis, representam um momento verdadeiramente significativo para a História da Igreja, na medida em que, pela primeira vez, e depois de um longo período de reflexão teológica iniciada precisamente em resposta à Causa dos dois pastorinhos de Fátima, é reconhecida a heroicidade das virtudes e a maturidade de fé de crianças não-mártires, abrindo assim o precedente para que a santidade das crianças seja reconhecida”, refere uma nota do Santuário de Fátima.
Após esta decisão, seguiu-se o necessário reconhecimento de milagres atribuídos à intercessão dos pastorinhos, que levaram à sua beatificação e, agora, canonização, alargando o seu culto para o âmbito universal, na Igreja Católica.
Fonte: http://www.agencia.ecclesia.pt/noticias/nacional/fatima-2017-canonizacao-de-francisco-e-jacinta-exigiu-revolucao-na-igreja/

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Veja como foi o Encontro de Formação do Pré-Catecumenato Infantil - Vic. Sul

No dia 29/04 aconteceu a reunião Vicarial do Pré-catecumenato Infantil do Vicariato Sul.
Foi muito animado, divertido, lúdico e de muita validade para os encontros a serem realizados nesse período com sugestões para o mês de Maria e Pentecostes. 
Finalizou com a coroação de Nossa Senhora de Fátima, apresentando os catequistas vestidos de pastorinhos e com uma catequizanda do Prézinho coroando Nossa Senhora.

Foi muito lindo e proveitoso o encontro desse ano e todos ficaram com gostinho de quero mais!

Veja algumas fotos:







quinta-feira, 20 de abril de 2017

Encontro da Pré Catequese do Vicariato Suburbano


Jacinta e Francisco serão canonizados em 13 de maio em Fátima


Jacinta e Francisco Marto, os dois pastorzinhos que tiveram visões de Nossa Senhora, serão canonizados pelo Papa Francisco em Fátima, em 13 de maio.
A confirmação deu-se na manhã desta quinta-feira (20/04) durante o Consistório Ordinário Público, presidido pelo Santo Padre no Vaticano. Serão as primeiras crianças não-mártires a serem proclamadas Santas. Na mesma data, há 17 anos, os dois irmãos eram beatificados por João Paulo II.
Jacinta e Francisco Marto, os dois irmãos de apenas nove e dez anos, junto com a prima Lúcia dos Santos, tiveram visões de Nossa Senhora. A primeira vez em 13 de maio de 1917, seguindo-se em todos os dias 13 de cada mês, até chegar ao mês de outubro. Nos "encontros celestiais" Maria deixou mensagens sobre acontecimentos futuros e recomendações aos pequenos, entre estas, a de rezar o Rosário diariamente.
A fama de santidade dos dois pastorzinhos logo após as suas mortes já havia se difundido por todo o mundo. Francisco morreu em 4 de abril de 1919, de febre espanhola. Jacinta, dez meses mais tarde, em 20 de fevereiro de 1920.
Jacinta, após muitos sofrimentos oferecidos pela conversão dos pecadores, morreu sozinha em um hospital de Lisboa, sendo sepultada em Vila Nova de Ourém, o município ao qual pertence o Santuário de Fátima.
De Francisco - chamado de "o consolador" pelo seu desejo de consolar com a oração Nossa Senhora - perdeu-se o local preciso de seu sepultamento. Somente anos mais tarde seus restos mortais foram reconhecidos pelo pai, por um detalhe muito particular, o terço que ele tinha nas mãos.
Em setembro de 1935, o corpo incorrupto de Jacinta foi traslado de Vila Nova de Ourém a Fátima. O corpo foi fotografado e o Bispo de Leiria-Fátima, José Alvez Correia da Silva, enviou uma cópia à Lúcia, que havia se tornado uma Irmã dorotéia. Na ocasião, o prelado pediu a Lúcia que escrevesse tudo o que sabia sobre a vida de Jacinta. Nascia assim a Primeira memória, que ficou pronta no Natal de 1935.
Sucessivamente o bispo pediu que Lúcia escrevesse também suas recordações a respeito de Francisco e os fatos ocorridos em Fátima.
Não fossem estes relatos deixados sobre a breve vida dos dois irmãos, talvez ninguém poderia ter pensado em abrir uma Causa de canonização, mesmo porque naquele tempo ainda não havia sido decretado o reconhecimento de "exercício das virtudes em grau heróico" também para os pequenos.
O pedido para investigar a santidade dos dois foi iniciado pela Diocese de Leiria somente em 1952 e concluída em 1989, com o decreto sobre a prática das virtudes, em consideração à idade das crianças.
O obstáculo, era ainda uma uma questão de fundo debatida no decorrer do século XX, em relação à possibilidade ou não de levar em consideração duas crianças como candidatos à canonização. Questão que foi resolvida em 1981 por meio de um um documento emitido com este propósito pela Congregação da Causa dos Santos.
O milagre atribuído à intercessão das duas crianças, e que levou à beatificação, foi reconhecido em 1999. Já o que abriu o caminho para a canonização, foi reconhecido em 23 de março passado, e diz respeito a uma criança brasileira, que na época tinha seis anos.
Esta criança estava na casa do avô, brincando com a irmãzinha, quando caiu por acidente de uma janela de cerca sete metros de altura, sofrendo um grave traumatismo crânio-encefálico, com a perda de material cerebral.
Levada ao hospital em coma, foi operada. Caso sobrevivesse, viveria em estado vegetativo ou, no máximo, com graves deficiências cognitivas.
Milagrosamente, após três dias, a criança recebeu alta, não sendo constatado nenhum dano neurológico ou cognitivo.
Em 2 de fevereiro de 2007, uma equipe médica deu parecer positivo unânime sobre o caso, como "cura inexplicável do ponto de vista científico".
No momento do incidente, o pai da criança havia invocado Nossa Senhora de Fátima e os dois pequenos beatos. Na mesma noite, os familiares e uma comunidade de irmãs de clausura haviam rezado com insistência, perdindo a intercessão dos pastorzinhos de Fátima. (JE)
Fonte: http://br.radiovaticana.va/news/2017/04/20/_jacinta_e_francisco_ser%C3%A3o_canonizados_em_13_de_maio_/1306861

segunda-feira, 17 de abril de 2017

PEREGRINAÇÃO MARIANA DOS PERSEVERANTES


Como de costume, teremos a PEREGRINAÇÃO MARIANA DOS PERSEVERANTES, abrindo o mês de maio. Neste ano, visitaremos o Santuário de Nossa Senhora de Fátima, réplica do de Portugal! Afinal, são 100 anos das aparições de Nossa Senhora aos três pastorinhos que ajudaram a mudar a história do mundo! Será uma manhã de muita animação e oração, no amplo e acolhedor espaço no Recreio. Não é necessária prévia inscrição. Além dos perseverantes e catequistas, os familiares, claro, são mais que bem-vindos! Compareça e ajude na divulgação.